Crescer é aprender a voar

  • O Abrigo
  • creche

A convite do Semi-Internato de Nossa Senhora da Encarnação da Congregação das Irmãs Concepcionistas ao Serviço dos Pobres estivemos em Elvas para dar a conhecer o trabalho da creche do Abrigo. 

Do ponto de vista técnico, a nossa partilha encontrou eco na assistência: O trabalho pedagógico em creche é importante, há várias formas de o alcançar e de ter sucesso.
No Abrigo temos a garantia de que fazemos o que dizemos que fazemos reconhecida pela certificação nível A de acordo com os Manuais de Avaliação da Qualidade da Segurança Social. O nosso projeto educativo e método de trabalho inspiram-se no Crescendo em Qualidade da Gabriela Portugal e diariamente, as nossas educadoras aplicam a metodologia de projeto no trabalho que desenvolvem com as crianças.

Apesar da confiança que sentimos nas ferramentas que utilizamos, sabemos que isso não chega. E muito perto da fronteira com Espanha, encontramos cuidadoras no Semi-Internato de Nossa Senhora da Encarnação que também o sabem.
É muito difícil ter a capacidade de conseguir olhar para aquilo que fazemos, ver a sua importância, questionar, duvidar e querer continuar a procurar formas de fazer melhor. Porque questionar o que fazemos todos os dias deixa-nos sem chão. Vermo-nos pelos olhos dos outros é um exercício que nos provoca desconforto e medo. Mas, é fundamental. Porque somos pessoas que cuidam de pessoas. E às vezes deixamos de as ver. E, no correr dos dias, ao fim de muitos dias, deixamos de nos ver também. 

Em Elvas, fomos recebidas com muito carinho.
Voltamos para casa com um grande exemplo da equipa de cuidadoras do Semi-Internato de Nossa Senhora da Encarnação, algumas das quais com 40 anos de experiência de trabalho com crianças pequenas: não há que ter medo de continuar a olhar para nós próprias com espírito crítico e reflexivo, à medida que o tempo passa e que a nossa experiência de trabalho se vai acumulando.
O passado, a história são importantes para nos lembrar quem somos. Mas, o futuro constrói-se agora e todos os dias.

Na creche do Abrigo, as nossas educadoras são especialistas na metodologia de trabalho de projeto. De uma forma simples, de acordo com a Direção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular, a metodologia de trabalho de projeto é uma abordagem pedagógica centrada em problemas, ou um estudo em profundidade sobre determinado tema ou tópico (Katz e Chard, 1989). Como todas as metodologias, esta segue etapas e a primeira fase é a da definição do problema: formula-se o problema ou as questões a investigar, definem-se as dificuldades a resolver, o assunto a estudar.

Esta semana, as 18 crianças com idades compreendidas entre os 1 e 2 anos estiveram a estudar em profundidade as frutas. Tudo começou à hora de almoço e com a sobremesa: banana! É uma palavra que todos conseguem dizer e que a dada altura servia para designar todos os frutos, independentemente de serem ou não banana.

Depois da fase de planificação e definição dos objetivos, a fase da execução começou e as crianças partiram para o processo de pesquisa através de experiências diretas: com a identificação das frutas que temos na fruteira. Com um jogo de imagens reais e frutas reais. Inteiras e cortadas. Olhamos por fora e vimos por dentro. Sentimos o cheiro. E claro que provámos. E no fim, com um pouco de canela tão característica do Outono, fizemos um bolo de maça. Finalmente, contámos tudo aos pais no blog da creche. E aqui também.

Porque o que fazemos bem, tem mesmo de ser partilhado!

 

Nós não esquecemos as crianças de quem cuidamos e há recordações que ficam para sempre. Acreditamos que os pais também nunca se esquecerão da casa e das pessoas que cuidaram do seu filho num momento tão importante das suas vidas. Mesmo que as crianças que saem da creche não se recordem especificamente de quem cuidava delas e do que faziam na creche, sabemos que perdura para sempre a memória do amor e carinho no cuidado que receberam. Por isso, gostamos de receber convidados especiais. São convidados porque já não frequentam a nossa creche desde o ano passado. E são especiais porque são os "nossos" meninos.

É com emoção que os vemos brincar e é engraçado perceber que os brinquedos da creche continuam, de alguma forma, a ter magia. Os abraços que recebemos já são mais fortes, as mãos maiores e sim, estão muito altos! É sempre bom voltar a um sítio onde fomos felizes.

sinapses de amor

  • O Abrigo
  • creche

No Abrigo, acreditamos que cuidar de pessoas só é possível com amor e, a nossa equipa da creche, reconhece que o grande privilégio de cuidar de crianças pequenas é exatamente o amor que recebe por todo o amor que dá. No Abrigo, também sabemos que para cuidar de pessoas, é necessário deter conhecimentos técnicos, é necessário aplicar metodologias e é necessário acompanhar a evolução do conhecimento, da investigação e da ciência. Acreditamos que seja comum aos profissionais que gostam da sua atividade profissional, a vontade de aprender mais e de conhecer novas realidades. Deixar o "conforto" da nossa rotina, do nosso dia-a-dia, deixar o nosso trabalho quando o que temos para fazer é muito importante e não pode esperar... é difícil. E então, nem sempre saímos e ficamos presos ao que nos é familiar.

Felizmente, a nossa equipa técnica mantém a capacidade de se desafiar a si própria e de querer sair para o mundo disposta a aprender. Felizmente, há pessoas inspiradoras, capazes de partilhar o seu conhecimento e criar experiências de aprendizagem únicas. Foi o que aconteceu no Love Synapses - Building strong children, families and communities. Valeu a pena a equipa técnica da creche sair de casa, conhecer a fundação Brazelton/Gomes-Pedro e ouvir pessoas que, ao falar de amor e sinapses, reforçaram a nossa confiança na metodologia que escolhemos para cuidar de crianças pequenas em creche. E, principalmente, inspiraram-nos para fazermos sempre o melhor na grande responsabilidade que é contribuir para o futuro da humanidade. Sentimos muito orgulho na equipa da creche, uma equipa com sonhos na alma, que continua a ter a capacidade de querer aprender para fazer sempre melhor.

fazer de conta é brincar a sério

  • O Abrigo
  • creche

 

Como fazer com que uma criança aprenda e adote um determinado hábito? Um daqueles hábitos que fazem parte de uma rotina tão sistematizada que ninguém se lembra de como o adquiriu… A criança precisa de lavar os dentes, e agora? Vai havendo tentativas: mas ela não abre a boca, trinca a escova, engole a pasta, engasga-se. Os relatos são variados.

Na creche procuramos sempre ajudar e então, desafiamos a criança de forma a motivá-la para o assunto. Uma vez tornado num interesse tudo foi mais fácil. A criança quis saber, quis aprender, quis experimentar… tornou-se a protagonista no desenvolvimento do seu próprio conhecimento. Ao que parece, deixá-la agir por si própria aumenta a sua autoestima e a sua autoconfiança. É fundamental encarar a criança como competente. Como? Dando-lhe autonomia. Fazendo com que se sinta crescida. Fazendo-a aprender a aprender.

Na nossa creche, desafiar a criança é possível com novidades e objetos outrora do mundo do “não se mexe”: Pasta? Vamos abrir para ver? Várias cores, cheiros… Posso mexer? Desafiar a criança é possível se lhe dermos espaço para ela voar! Parece difícil? Para o adulto, talvez. Para uma criança isso é muito fácil: basta usar a imaginação. E com a imaginação ela voa.

Fazer de conta é brincar a sério… e brincar – já diria alguém – é o que de mais sério as crianças fazem (Manuel Sarmento). Elas aprendem a relacionar-se com os outros, a partilhar, a exteriorizar ideias e sentimentos, a adquirir conhecimentos. Na creche, as crianças brincam com muito gosto! Fazem de conta muitas coisas! Fizeram de conta que os bebés (faz-de-conta) já nascem com dentes e por isso têm de os ajudar a tratar deles: copo, escova, pasta, água, em cima, em baixo, de um lado, do outro, à frente, atrás…

E a brincar a sério… já todas aprenderam a lavar os seus próprios dentes. Por vezes ainda se engasgam, e comem pasta é verdade … mas a cada dia que passa (por tentativa erro) tudo melhora. Já sabem tomar um pouco mais conta de si, precisam de lavar mais vezes os dentes aos bebés do faz-de-conta claro está, mas aos poucos vão conhecendo melhor o seu mundo. E assim, a brincar e a fazer de conta a criança cresce e aprende… a sério!

2020 | O Abrigo - Centro de Solidariedade Social de São João de Ver
Todos os direitos reservados. | Política de privacidade
Livro de reclamações online